UA-85145501-1
Categoria "resenha"

Resenha: Kit de Lente para Celular

Em 24.12.2015   Arquivado em resenha

 

3

Dá pra perceber que eu gosto demais de fotografia, né? Além das fotos aqui do blog, que geralmente sou eu ou a Mahy que tira, eu também adoro fotografar coisas aleatórias que posto lá no Instagram e no snapchat (littledeka).

Eu não gosto muito de sair com a câmera na rua, então esse Kit me salva bastante quando quero clicar rapidamente algum objeto ou eu mesma. É um kit universal de lentes, ou seja, graças ao clip, ele vai encaixar em qualquer aparelho. E o bom é que você pode usar nas duas câmeras (frontal e traseira). Fica muito bacana!

Vem com três lentes: Wide, Macro e Fisheye. Para trocar as lentes, basta rosqueá-las no clip bem devagar. Só tome cuidado com a lente macro, porque ela é bem fina. Eu fiquei meses tentando tirar até a própria Mahy me dar uma dica: usar os dentes delicadamente para desrosquear. Ah, e mais uma coisa:

Macro pode ser utilizada com ou sem a Wide, mas a Wide SÓ pode ser utilizada junto da Macro. E a Fishye é a de 180º

Vou mostrar algumas fotos que fiz:

FishEye2

Macro1-1

Macro2

E você, já usou alguma lente para celular? 

Espero que tenham gostado e, qualquer duvida, sugestão ou agradecimento, deixem nos comentários!!

Beijos!

Facebook | ♥ Twitter | ♥ Instagram: @andressawaleska

Jurassic World (2015)

Em 14.06.2015   Arquivado em filme, resenha
Dia 11 de Junho estreou o novo longa da franquia, intitulado Jurassic World. 20 anos depois da tragédia do primeiro longa, parece que eles não aprenderam a lição e fizeram um parque maior. Os visitantes da nova e mais tecnológica ilha Nublar têm acesso a mais lojas de souvenires e lanchonetes e curtir atrações como montar em pequenos (e fofos) triceratops ou fazer safári entre herbívoros.

Um ótimo programa para quem adora dinossauros, como o pequeno Gray (Ty Simpkins) que, junto de seu irmão Zach (Nick Robinson), ganham entradas grátis para o parque por serem sobrinhos de Claire (Bryce Dallas Howard), a gerente do local. Tudo estava indo bem até que a equipe da engenharia genética decide criar um novo dinossauro para atrair mais público: o Indominus Rex. Claro que isso não ia dar certo. Afim de “verificar se o animal está bem”, foi chamado o ex marinheiro Owen (Chris Pratt), agora treinador de Velociraptors e especialista em comportamento animal. Ele entende os dinossauros como ninguém e logo percebe que tem algo de errado com essa experiência, tão logo quando descobriu que a fera só viveu em cativeiro durante anos e era mais inteligente que dinossauros comuns. É aí que tudo começa a desandar.

 (Sea World versão Jurássica.)

Como não poderia faltar, nesse temos muitos humanos sendo devorados, gritarias, perseguições e sangue. Além disso o filme está cheio de referências ao primeiro, o que me agradou bastante sem contar no CGI perfeito utilizado pros dinos. Há quem diga que Jurassic World é um Jurassic Park adaptado para as tecnologias atuais. Eu concordo.

Terremoto: A Falha de San Andreas (2015)

Em 09.06.2015   Arquivado em resenha


Terremoto – A Falha de San Andreas é sobre a possível (sim, na vida real) catástrofe natural no Sul do Estado da Califórnia. Para quem não sabe, a Falha de San Andreas é uma falha localizada na costa da Califórnia, resultado do atrito entre as placas do Pacífico e a Norte-Americana. Justamente por causa disso, a região é classificada como uma das mais instáveis do planeta.

Após três conhecidos abalos sísmicos ocorridos nesta falha, a probabilidade de um quarto é bem maior, e essa é a premissa do filme. Após um terremoto de escala assombrosa atingir a Califórnia, o protagonista Ray (Dwayne Johnson) parte, ao lado de sua ex-mulher Emma (Carla Gugino), para salvar a filha do casal Blake (Alexandra Daddario) que sobrevive, juntamente com dois irmãos, numa São Francisco completamente destruída pelos tremores..


Neste ponto já podemos perceber alguns clichês desse tipo de filme, como a família afastada, cujos pais estão passando por um divórcio, e que volta a se aproximar, o herói que faz coisas impossíveis (como pilotar um helicóptero no meio de prédios em queda), um vilão egoísta e que tem uma morte bem estranha, além do amor que nasce entre adolescentes que tentam sobreviver. Isso sem contar o maior de todos: Chega uma determinada hora que o diretor estampa a bandeira dos Estados Unidos de maneira bem exagerada e totalmente non-sense. Não sei se é só comigo, mas chega momentos em que esse patriotismo deles irrita.

As cenas de destruição eram realmente bem feitas, mas também pudera, com o dinheiro que eles gastaram pra fazer esse filme, os efeitos especiais deveriam mesmo agradar.
Se gosta de filmes de ação com mortes pra todo lado, catástrofes, além da presença do The Rock, esse filme é pra você. Mas, se preferir, também pode esperar o filme ficar disponível no Netflix. A Escolha é sua.

Resenha #10: A Bússola de Ouro – Trilogia Fronteiras do Universo | Philip Pullman

Em 31.05.2015   Arquivado em livros, resenha


Nome: A Bússola de Ouro #1.
Trilogia: Fronteiras do Universo.
Autor: Philip Pullman.
Editora: Objetiva.
Páginas: 370.
Classificação: 5/5
Sinopse: A jovem Lyra se lança numa busca desesperada e enfrenta terríveis obstáculos quando seu amigo Roger desaparece em um universo de fantasias, onde os daemons correm pelas ruas de Oxford e Londres e um redemoinho de poeira misteriosa está por toda parte, tornando possível às crianças conhecerem segredos que os adultos dariam tudo para desvendar. 

Um livro de fantasia, mas que abarca questões bem complexas como religião, viagem no tempo, teorias da conspiração, criação do universo, dentre inúmeras outras.
A história se passa em um mundo muito parecido com o nosso, mas com algumas diferenças importantes. Cada humano possui um companheiro inseparável, chamado Daemons/Dimon¹. uma espécie de espírito que possui a forma de um animal.. Humano e dimon são ligados na vida e na morte. Durante a infância, enquanto a personalidade ainda está sendo moldada, os dimons tem a capacidade de mudar de forma, mas quando seu humano se torna adulto adquire uma forma fixa, a qual geralmente é a expressão do que a pessoa se tornou.

A Faculdade Jordan, em Oxford, Inglaterra, é o lar de Lyra, orfã e com 11 anos. Por morar na universidade, teve uma boa educação e se gaba disso, apesar de não ter dado tanta importância as aulas, preferindo brincar com os meninos da redondeza e com seu melhor amigo Roger. Um dia, ela e seu dimon Pantalaimon (Pan) entram numa sala proibida da faculdade por pura curiosidade e acabam tendo que se esconder lá dentro. Então descobre a existência do misterioso Pó.

Ninguém sabe o que ele realmente é, só que as crianças o atraem com mais facilidade que os adultos. Isso deixa um burburinho no ar. É ai que algo muito estranho começa a acontecer. Por todos os lados do país surgem histórias de crianças desaparecendo sem explicação. Ninguém sabe quem está fazendo isso. Mas Lyra só começa a ficar preocupada com isso, de verdade, quando Roger desaparece, além de outras crianças da região onde mora.

Ela decide então, sair para procurá-lo, mas o aparecimento da Sra Coulter, uma mulher linda e inteligente, a faz esquecer temporariamente de seu amigo. Prontamente decidiu ir para Londres para se tornar assistente dessa interessante e sofisticada mulher. Antes de partir, porém, o Reitor lhe entrega um estranho objeto que se parece com uma bússola, e pede que Lyra o esconda da Sra Coulter. Após fazer descobertas importantes, a menina foge e começa sua jornada para salva as crianças e traze-las de volta para suas famílias. Em meio a isso, finalmente descobre o que é o misterioso artefato que o Reitor lhe dera. Se chama Aletiômetro, que tem a função de dizer a verdade, mas de complicada compreensão, só podendo ser lido por aqueles que possuem um dom especial.

Em meio a feiticeiras e ursos de armadura, Lyra começa a aprender que existe muito mais do que ela sequer imaginava e, mesmo sendo uma criança, chega a lugares e faz coisas que adultos nunca fariam, sempre utilizando de sua inteligência e perspicácia.

Não vou me ater ao filme nesta resenha, pois a adaptação não passou nem perto da essência do livro.

Já comecei a leitura do segundo livro. Ao terminar posto a resenha aqui.

E quais foram suas impressões a respeito do livro/filme?

Beijinhos!!

¹Daemons/Dimon :Estes seres, são uma espécie de personificação da alma humana, são ligados espiritualmente e não suportam a separação, mesmo que momentânea

Página 2 de 512345